Sentir é Criar Menu

Permalink:

Nossa História – Por Miel





Desde o começo então..

Tudo começou no ano de 2005. Eu estudava no Emídio Bispo, uma escola aqui do bairro. Aliás, estudei toda minha vida nessa escola, lá conheci muitos amigos e entre eles o Anderson. Todo ano era a mesma turma desde a alfabetização, mas naquele, tinha uma novata. Ana Weruska, a prima do Anderson, acho que foi esse o primeiro passo pra nos tornarmos amigos. Ela diz que naquela época eu era fofo, brincavamos até de namorados, é.. namorávamos de brincadeira. Nem amiginava o que vinha.

O ano de 2005 foi ótimo, acho que um dos melhores e do que me lembro mais. Nos separamos no fim do ano, na verdade cada um foi pra seu lado. Já que a escola ia até a 8º série. A partir daí nosso contato era através da internet mesmo, mas só pra coisas triviais, até que certo tempo nunca mais tinha visto-a online. Pensei: Ahh ela deve ter me deletado :T .

E anos se passaram..

Na verdade foram 3. Chega 2008, e com ele muitas coisas boas. Consegui passar pelo primeira vez num concurso. A ETEPAM (Escola Técnica Estadual Professor Agamemnom Magalhães) foi onde eu conseguiria a maioria das minhas conquistas na área profissional. Mas isso é assunto pra outro dia. Bem logo depois de iniciar no curso, retomei o contato com ela. Na verdade todo dia eu entrava na net por volta das 17Hrs, e certo dia ela tava Online. Então fui falar com ela, começamos falando dos tempos antigos e das saudades da escola. E decidimos reunir a turma da 8º pra fazermos tipo um ‘encontro da saudade’. Idéia de Bel (uma amiga nossa, da 8º também). Tentamos levar a idéia adiante, de nos encontrarmos e tal. Mas o tempo foi passando e nada dava certo, então começamos a conversar sobre nossas vidas. Perguntei se ela era evangélica? (Fiquei super feliz quando soube) O que tinha ocorrido esse tempo todo? Porque ela ficou tão longe da net e tals? e chegamos na pergunta chave: Tá namorando?

Bem, ela respondeu que sim, mas não se mostrou feliz por isso. E começou a me contar TUDO. Não sabia porque ela confiava tanto em mim já que nos voltamos a nos falar a tampouco tempo. Ouvia tudo e me indignava com certas coisas, tentava falar coisas que a consolasse um pouco ou sei lá. Só queria ser um amigo. Dias se passaram e neles não havia um se quer que nós não conversávamos, ou que eu olhasse seu Perfil do Orkut, ou deixar um recado ou qualquer outra coisa. Bem, lhando e lembrando de tudo hoje, eu estava me apaixonando sem saber/perceber. Fiquei com medo desse sentimento, ela era mais velha que eu e era uma amiga antiga. Começamos a ter sonhos e ficavamos contando um ao outro as loucuras que aconteciam neles. Ficava me perguntando porque tava sentindo aquilo, mas era inevitável. Então comecei me despedir no bate-papo com um ‘te amo’ inocente só pra ver se ela retribuia. Mas nunca ocorreu.

Então ficava rodando o perfil dela e ‘roubando’ as suas fotos pra mim, e me perguntando como iria dizer isso pra ela. Pensava: Ela vai falar, Q? Se liga, vc é apenas um amigo, não confunda as coisas. Decidi deixar nas mãos de Deus e certo dia aconteceu. Ela tava numa festinha com as amigas na casa dela. Então derrepente abre a janela do msn lá com ela dizendo que me amava, me lembro que fiquei nervoso, também disse o mesmo. Agente tinha/tem uma espécie de telepatia ou sei lá, vibramos na mesma frequência. Os sonhos dela se complemetavam com os meus, os pensamentos dela era iguais aos meus. Certo dia camentávamos isso num domingo a tarde, foi aí que virmos o negócio ficar sério e assumir tudo de uma vez.

Nessa época eu tinha 16 anos. E desde os 12 ouvia sempre minha mãe dizer que só era pra eu correr atrás de namorada depois que saísse de uma faculdade com meu emprego e minha casa. Eu sinceramente tinha isso em mente. Mas o que aconteceu com agente foi muito pelo contrário do que acontece com outros. Eu não fui a procura de alguém, ela simplismente apareceu na minha vida, e ainda bem que foi ela!

Minha mãe não gostava muito da idéia de eu arrajar uma namorada, e eu sempre foi muito obediente a ela e decidi esperar a vontade de Deus. Então decidimos orar, orar muito e esperar o dia em que matariamos a saudade e viveriamos nossa historia juntos.

Passamos dias nos declarando por msn e loucos de saudade um pelo outro. Até que chegou o fim do ano, eu estava feliz por encontra-la e por ser ela a pessoa que eu amava. Mas queria que ela estivesse do meu lado. No dia 1 de janeiro de 2009, poucas horas depois do reveillon, ela me ligou. Bem foi uma surpresa e eu não reajo bem a elas, fiquei rindo sem saber o que falar enquanto ela dizia palavras que eu sempre quiz ouvir e não ler, saca?

Daí vem o dia do nosso primeiro encontro, e do nosso primeiro ‘beijo’. Foi num feirado aqui no recife, dia 12 de março de 2009. Ela tinha me perguntado uns dias antes se eu ia ter aula, eu disse que sim, não, talvez. Mas acabou não tendo aula, e eu aproveitei pra ir na cidade recarregar meu passaporte eletrônico, quando entro no prédio me deparro com os dois: Ana e Anderson andando entre as filas. Isso não tá acontecendo! pensei, gelei e meu coração veio na boca, acho que ia enfartar. Mas respirei fundo e fui ao encontro deles, Ela tava mechendo na bolsa então decidi endar mais rápido pra fazer um TCHANRAM SURPRESA =D, enquando me aproximava ficava gritando no meu consciente: não gagueje, não trema, seja natural, ponha um sorriso no rosto, seja natural, solte as mãos!!! E assim que ela olhou pra mim com os olhos arregalados eu abracei-a forte. Parecia tirar um peso das minhas costas, relaxei! E depois veio Anderson e passamos a conversar. Acabamos no parque da cidade, passamos algumas horas e depois cada um foi-se embora. Ahh sim, o selinho rolou na parada do onibus antes de eu correr atrás do meu.

Desse dia endiante tivermos mais alguns encontros, não lembro as datas (Talvez ela coloque no depoimento dela uma por uma xD) Mas a cada um que se passava eu a queria mais e mais e aquela vontade crescia absurdamente dentro de mim até eu tomar corajem de ir na casa dela e enfrentar o que fosse preciso pra tê-la ao meu lado!

Foi alguns dias depois do reveillon de 2009 pra 2010. Ela tava triste por conta que ela não conseguiu viajar com a familia e nada saiu de acordo com o planejado. Não gosto de vê-la triste seja o motivo qual for. Então planejei um dia pra largar mais cedo do trabalho e ir na sua casa conhecer sua família. Foi numa terça-feira. 5 de Janeiro. Todo garoto tem medo deste dia (o de conhecer os pais da garota), minhas mãos suavam como sempre e eu tava ancioso, mas ao contrário do que pensei foram super legais comigo e ainda bem que foram. Quando cheguei em casa contei, e todo mundo gozou com a minha cara. Mas nem liguei, eu ainda tava nas nuvens.


Sabe, me orgulho ao tê-la do meu lado. É uma mulher fora da linha, sabe se comportar de acordo com a ocasião, é simpática e tem um sorriso lindo. Aliás é uma mulher linda, não só por fora, mas por dentro também, é sim. Talvez quando ela ler isso não vá concordar. Eu fui amando-a aos poucos e de pouco em pouco hoje não imagino minha vida sem ela, meu futuro sem ela. Acredito que estamos no caminho certo. Acredito que ela é o amor da minha vida. Acredito em nós, sempre acreditei. Até hoje, não sei o que eu fiz de tão bom pra você surgir na minha vida. Agradeço a Deus, agradeço a você por existir, por me fazer feliz do jeito que só você sabe fazer!


Te amo! é pouco..

O resto da história só sabe quem ler no nosso blog diariamente, fica a dica 😛
Quer contar a sua história aqui, me mande: contato@sentirecriar.com.br
Comentem e volte sempre!