Sentir é Criar Menu

Permalink:

Nossa História – Por Ana Meira

Nossa história começa em 2005. Eu tinha quinze anos. Tinha mudado de escola por ter reprovado a oitava série. Fui para uma escola com uma estrutura bem menor e estava um pouco com medo. Eu era da mesma sala que o meu primo Anderson. No primeiro dia de aula eu tava conversando com ele e ansiosa pra conhecer quem seriam meus colegas de sala. Na minha sala só tinham quatorze pessoas: Sete meninos e Sete meninas. Nesse primeiro dia só foram dois: Um pequenininho de 13 anos e o meio-irmão dele. Eram só quatro pessoas na sala e eu a unica menina.

Pulando muitas etapas para não ficar muito detalhada essa história, um dia eu comecei a dizer que o garotinho de treze anos que se chamava Edmiel, era meu namoradinho. Vê que coisa linda: Um menino pequeno, com treze anos na oitava série e super inteligente! Quis logo pegar ele pra mim. Porém até então era tudo brincadeirinha.

O ano acabou e cada um foi fazer o ensino médio em escolas diferentes.

Três anos depois sem ter nenhum contato – e eu num final de namoro perturbado – eis que Edmiel ressurge das profundezas do meu msn e vem conversar comigo. E confesso que comecei a falar com ele como se ainda tivesse treze anos.

Foram umas três semanas só conversando e relembrando o que tinha acontecido em 2005. Foi o melhor ano das nossas vidas, mas a gente nem sabia.

Um dia eu precisava desabafar com alguém. Meu fim de namoro tava um inferno. Fui e desabafei com Miel. Nesse dia me dei conta que não tava falando mais com o garotinho de treze anos. Me encantei com as palavras que ele me disse. E depois desse dia foram só palavras bonitas.

Eu me pegava pensando nele. Entrava no msn procurando por ele. Olhava as fotos dele. Peraí, tô apaixonada? Eu tava, mas tinha medo desse sentimento, já tinha sofrido muito, estava meio incrédula quanto ao amor. Ainda assim, com o passar dos dias e cada vez que a gente conversava, eu gostava mais dele. E mesmo com medo do que viria pela frente, eu contei o que sentia. Que bom, por que acho que ele só tava esperando que eu desse esse primeiro passo. Foi só eu começar a falar que ele já foi dando sua resposta reciproca.

Conversamos e eu contei indiretamente que tinha medo, então decidimos orar todos os dias por nós, para que Deus fizesse Sua vontade. Eu fui mais além e pedi a Deus uma confirmação, então orei: “Deus, se esse relacionamento for de sua vontade, se realmente Miel for o meu, eu te peço para vê-lo em um dia improvável, quando eu menos esperar”. Faziam três anos que não o via, nosso romance começou pela internet e permaneceu assim por um ano e três meses. Mas claro que antes desse tempo todo, Deus confirmou, cinco meses depois que nós declaramos, eu encontrei Miel em um dia improvável e quando eu menos esperava. Era aniversário de Recife, feriado. dia 12 de março de 2009.

Depois teve encontro aconteceram mais cinco. E a gente ficava feliz ao se ver, mas triste ao se despedir, pois não sabíamos quando seria a próxima vez. Toda vez que eu tava com ele, eu dizia pra ele que tava no aguardo de 2010. E foi só 2010 chegar, que ele já foi sendo generoso, finalmente começamos um namoro em casa e somos felizes até hoje.

Agradeço a Deus por tudo. Tenho orgulho de tudo que construímos á distancia. De tudo que vencemos nesse meio tempo. Foram dias difíceis, mas Deus estava sempre conosco.

Inho, te amo muito, obrigada por esse amor lindo e verdadeiro que você sente. Eu o sinto em seus pequenos gestos.

#Comoeuteconheci